(51) 99845-1392 ricardo@raifone.com.br

Com as reviravoltas na economia global observada nos dias de hoje, é possível avistar mudanças profundas que vão definir as tendências de mercado do futuro. Assim, nos próximos anos, esperamos uma series de acontecimentos chocantes que redefinir o rumo dos negócios.

O número crescente de projetos de usinas, portos, ferrovias e estradas está cada vez mais atraindo fundos de investimento nacionais e estrangeiro, todo o ramo privado em si.

Ao longo dos anos, especialistas, em trabalhos, apontaram diversos problemas de infraestrutura no Brasil. Para manutenção de tais recursos, os investimentos dependem muito das estatais, em suma, de recursos federais. Assim, algumas iniciativas de melhoria dessas infraestruturas e destinação das verbas criariam melhorias na economia brasileira, no índice de empregos da população e na sua qualidade de vida.

Quais são os investimentos em infraestruturas que serão tendência para 2020?

1.    Saneamento pensando no futuro

Um dos maiores impasses no desenvolvimento social e sanitário do Brasil é o saneamento básico. São 35 milhões de brasileiros sem água potável e quase 50% da população sem tratamento de esgoto.

Entretanto, algumas cidades, como Uberlândia, Minas Gerais, têm se destacado pelas resolubilidades dessas questões.

A cidade pertencente ao triângulo mineiro, mesmo com os seus mais de 600.000 habitantes, distribui água potável para 100% dos seus cidadãos. Além disso, mais de 95% do esgoto produzido na cidade é coletado e tratado. Segundo os departamentos responsáveis pelo saneamento da cidade, esse sucesso todo veio do planejamento a longo prazo.

Além disso, o departamento incentiva as industrias e empresas da cidade, que produzem grande demande de capitação de água e produção de esgoto, a economizar, reduzir e reutilizar.

O desenvolvimento tecnológico nessa área também vai ser muito importante, pois aumentará a oferta e a eficiência do saneamento no país. Departamentos de saneamento básico, juntamente com fundos de investimento para educação e pesquisa estão se unindo em prol da causa e investindo milhões, para que até em 2029, tenhamos dado grandes passos nesse nicho.

 

2.    Construção civil e o meio ambiente

De fato, a construção civil está criando cada vez mais alternativas sustentáveis. Um dos principais exemplos atuais, são os projetos de edifícios chamados “inteligentes”, que visam aproveitamento de recursos naturais, como a circulação do ar, captação de agua da chuva e energia através da radiação solar.

Além disso, o uso de materiais menos poluentes, que geram menos resíduos e de longa vida útil já são uma realidade para esse ramo no nosso país.

 

3.    Concessionarias administrando rodovias

Estudos apontam que das estradas brasileira, as melhores são as que são administradas por concessionárias. Quase 75% das rodovias geridas por concessões foram consideradas ótimas ou boas, contra 29,6%, que estão sob o poder público. As concessionárias administram 19 das 20 melhores ligações rodoviárias. Um grande exemplo é a rodovia do Bandeirantes.

4.    Transporte em bicicletas como solução socioambiental

Não precisa nem falar: nós vivemos na pele, em todo o canto do país, o colapso urbano do trânsito, devido o aumento quantitativo de carros circulando a cada ano. Uma solução que vem sendo apontada a tempos e que, aonde é utilizada dá muito certo, é o incentivo a utilização do transporte em bicicletas.

Além de fazer bem a saúde e ao fluxo de pessoas dentro das grandes cidades, quanto mais pessoas aderirem aos transportes em bikes, menos dióxido de carbono será emitido na atmosfera. Só vantagens!

Projetos estão sendo desenvolvidos, onde bicicletas, integradas a terminais de ônibus, poderão ser retiradas para utilização durante 14 horas. O pagamento pode ser feito com bilhete único, igual ao que utilizamos no ônibus.

5.    Casas compactas: um novo jeito funcional de morar

O aumento da população e ao mesmo tempo a ascendência do numero de pessoa que tem buscado morar sozinha, fez com que os nichos de construção civil e mercado imobiliário buscassem novas alternativas para ganhar espaço e funcionalidade, sem perder qualidade de vida.

Assim, as empresas desse ramo estão desenvolvendo imóveis menores e que sejam mais funcionais. A adesão está sendo cada vez maior desse tipo de moradia, principalmente nos grandes centros, como em São Paulo.

Outra tendência na arquitetura é o coliving, que significa “co-moradia”. É um conceito recente no Brasil, onde apartamentos pequenos tem suas lavanderias, copas e home offices compartilhadas dentro do condomínio?

Nova era, novos conceitos

Podemos perceber que essas novas tendências para infraestrutura trazem conceitos de economia, durabilidade e sustentabilidade, sempre pensando no custo-benefício e no bem-estar social a longo prazo.

O mercado dos negócios está mudando sua visão, se tornando cada vez mais humanista e atento a questões socioambientais, muito além de só focar no lucro (que foi o verdadeiro desastre para as infraestruturas que conhecemos).

Se você quiser embarcar ou não ser deixado para trás, leve em consideração esses novos conceitos e busque ampliar seus conhecimentos.

Dúvida? Pergunte-me